sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Abelhas Mirins

Há diversas espécies diferentes de plebeias, as principais seriam: a Variicolor (Ducke) e Minima (gribodo) na Amazonia, Kerri (Moure) na Bolivia, Mosquito (Smith), no norte e nordeste, Meridionalis (Ducke) em São Paulo e Paraná, a Droryana (Friese) e Remota (holmberg) em são Paulo e estados do sul, Emerina (friese) e Emerinoides (silvestri), ao sul de são Paulo, são muitas as espécies que constituem o grupo das Plebeias.
As plebeias ocupam um território de clima sub-tropical e tropical, que vai desde o norte da Argentina até o México, fazem seus ninhos nos mais variados lugares, árvores, paredões de pedra, moirões de cerca, barrancos etc, ocupam qualquer oco de tamanho apropriado que não seja damasiadamente aquecido pelo sol, a entrada do ninho é de propolis endurecido, praticamente não existe tubo, a não ser em alguns casos,
a entrada permanece aberta à noite, os favos de cria são horizontais ou helicoidais. 

  Ninho da Plebeia Droryana. 

A construção dos favos é suspensa durante o inverno ou parte dessa estação, constroem células reais, o invólucro protetor dos favos é bastante desenvolvido, o propolis armazenado é altamente viscoso e pegajoso, o batume de calafetação são feitos de cerume e propolis, as colônias das Plebeias são medianamente populosas e as vezes o numero de habitantes é bastante pequeno. São abelhas inteiramente mansas, mas há exceções, essas abelhas tem o hábito de lamber o suor da pele o que pode transmitir micoses, a produção de mel e pólem e muito baixa, não é viavel a criação dessas abelhas para fins de produção, apenas para fins de polinização e para  preservação da espécie.

Ref. Criação de Abelhas Indígenas sem Ferrão.
Paulo Nogueira Neto - 1970
Ed. Tecnapis.

Um comentário:

Meliponário disse...

Essas pequeninas são uma graça! Alias vou precisar de ajuda p/ identificar uma q encontrei no município de Rosário-MA, depois envio as fotos parabéns pelo site!
Fancisco Carlos Alencar
www.meliponarioalencar.blogspot.com